OH ELVAS , FIM DE SEMANA À VISTA

Localizada a 2 horas de Lisboa, Elvas, cidade património da Humanidade pela UNESCO em 2012, é uma boa opção para passar um excelente final de semana.


A cidade-Quartel Fronteiriça que por tantas ocasiões se mostrou impenetrável a Castelhanos, abre-se agora aos seus vizinhos de Badajoz que ficam a apenas meia hora de viagem e com a qual formam uma euro-cidade.

Em outros tempos Elvas foi fundada e sucessivamente conquistada pelas potências da Antiguidade e essas civilizações deixaram marcas profundas na Arquitectura e cultura da cidade.

Depois de uma jornada pelo interior do país chegamos finalmente ao nosso destino. Ao aproximar-nos conseguimos distinguir parte da silhueta das muralhas que abraçavam Elvas e a tornam a maior cidade fortificada da Europa.

Praça Forte de Elvas

Esta é a praça principal da cidade. Além das suas esplanadas também as letras de "Elvas" são muito procuradas para a foto da praxe.

Destaca-se a sua bonita calçada e a antiga Sé Catedral (extinta em 1882), actualmente Igreja da Nossa Senhora da Assunção.

Existe aqui parque subterrâneo onde deixamos o carro durante a estadia no Hostel e durante a visita pela Zona Histórica.

Igreja das Domínicas

Esta Igreja foi parte de um antigo convento da Ordem Templária que foi demolido no inicio do século XX por se encontrar em ruínas.

O seu interior ornamentado em azulejo e o Altar em talha dourada não deixa ninguém indiferente.

Podemos aceder à torre e ter uma visão significativa sobre parte do centro histórico.

Horário de funcionamento: 10h-18h / Livre.

Arco de Santa Clara

O Arco de Santa Clara, também conhecido como Porta do Tempre, representa o local exacto onde a Ordem do Templo rompeu a muralha e recuperou a cidade aos Mouros.

Acredita-se que a porta original Islâmica se encontra no pátio adjacente ao arco (lado direito da imagem). Este é um belíssimo exemplar da presença Islâmica na Cidade.

Rua das Beatas

Esta rua faz parte do Núcleo mais antigo da cidade. É um autêntico jardim florido, com casas onde o amarelo é predominante.

Muito fotogénica não acham?

É visível a mistura de culturas a cada passo que damos pela cidade, o quanto ela foi apetecível para as várias potências que por aqui passaram.

Os Romanos iniciaram aqui o círculo de muralhas defensivas que foram continuadas pelos visigodos e Árabes.

Muralha defensiva

No castelo temos uma boa perspectiva sobre a fronteira espanhola e do quanto este ponto era importante na defesa da cidade e do país.

Horário de funcionamento do castelo: 9h30 -17:30 / Livre.

Em Elvas existiu continuamente a necessidade de defesa e, por isso, são vários os exemplos de torres de defesa, arcos e portas datadas de várias épocas, espalhadas pela cidade.

Elvas é definitivamente um museu a céu aberto.

Para saber um pouco mais sobre a história militar mais recente de Elvas pode também visitar o Museu Militar.

Aqueduto da Amoreira

Ao chegar à cidade, fomos recebidos por esta majestosa construção com cerca de 8,5km de extensão! O Aqueduto da Amoreira, com 843 arcos e 31 metros de altura, não deixa ninguém indiferente e é considerado o maior Aqueduto da Península Ibérica!

É um dos símbolos da cidade e foi construído para levar a água até ela!

Ponte da Ajuda

A Ponte foi mandada erguer em 1510, para assegurar a transição de bens e mercadorias e a operação das forças militares portuguesas, em apoio ao Castelo de Olivença, mas devido a Invernos rigorosos, foi por diversas vezes destruída. Mais tarde, durante a Guerra da Restauração, foi reconstruida, até ser novamente destruída pelo exército castelhano, tendo no fim sido novamente reparada.

Nova Guerra, novo ataque e durante a Guerra da Sucessão Espanhola, o exército castelhano fez explodir a ponte, destruindo-a mais uma vez e desde então que permanece em ruínas.

Olivença era Portuguesa, os Espanhóis apoderaram-se dela e nunca mais a "devolveram". A Ponte, destruída para que não passassem as tropas e nunca mais reconstruida (pois ninguém queria reconhecer o direito sobre ela), assim se manteve. Hoje há uma ponte nova, menos interessante, uns metros ao lado, financiada pelo governo português, para realizar a mesma travessia. Estas impressionantes ruínas aqui ficaram (e ficarão), na representação daquele que é mais um capítulo da nossa história.

Forte de Nossa Senhora da Graça

Demorou cerca de 30 anos para ser construído aproveitando um lugar estratégico que tinha sido usado anteriormente pelos Espanhóis para atacar a cidade.

A sua complexa estrutura defensiva fez dele uma das mais poderosas fortalezas abaluartadas do mundo.

Curiosidade : Neste local o bisavó de Vasco da Gama mandou construir uma pequena Ermida dedicada a Senhora da Graça. É esta Ermida que dá nome ao local.

Forte de Santa Luzia

Construído em 1648 teve um papel fundamental na defesa da cidade, sendo repetidamente atacado pelo exercito Espanhol sem ceder.

Onde dormir?

O Very Typical hostel tem quartos temáticos com apontamentos inspirados na cultura Portuguesa de diversas regiões, como os "Pauliteiros de Miranda" e os corações de Viana. O belo Alentejo esta representado através de uma das suas matérias primas mais valiosas, a cortiça.

O nosso foi o "quarto dos lenços dos namorados e das sortes", com as almofadas com frases a imitar esta tradição Minhota tão antiga. No final os sortudos fomos nós.

Se disserem que vão da nossa parte ainda obtém um desconto de 10% , aproveitem.

Onde comer ?

Nós experimentamos o "Acontece" e a "Adega Regional" e aconselhamos vivamente.

O "Acontece" tem um conceito que mistura tradição e modernidade. Já a Adega Regional faz justiça ao nome e aposta num ambiente mais tradicional com "doses bem servidas" sem perder qualidade e um preço justo.

Provamos a Carne Alentejana de porco preto acompanhada com migas e as sopas. Estava tudo delicioso.

A sericaia com ameixas é também um doce tradicional da cidade muito apreciado.

Roteiro

Dia 1 - Centro histórico, onde ficamos alojados;

Dia 2 - Pontos mais afastados como o Aqueduto, os Fortes e a Ponte da Ajuda.

Mais informação: https://www.cm-elvas.pt/