Salamanca, a cidade dourada

Salamanca é uma cidade milenar, cheia de história, declarada Património Mundial pela UNESCO em 1988.

Localizada a 2h de viagem de carro da cidade de Bragança e a 4h do Porto. Nesta viagem em 2019 fizemos uma pausa por Bragança para visitar o seu castelo e dar um passeio dentro de muralhas e ainda uma paragem em Zamora.


Castelo de Bragança

Vista de Zamora

Ficamos um dia em Salamanca e ficamos rendidos, infelizmente por ser Domingo haviam lugares fechados ao público. De realçar que se fazem relativamente fácil todos os pontos a pé.


Plaza Mayor

Foi primeiro ponto de visita da nossa viagem e o que encontrámos mais movimentado.

É o principal centro da cidade antiga, similar a outras praças Espanholas e uma das mais bonitas.

Construída em estilo Barroco a partir do século XVIII, era usada como centro de ajuntamento popular. Um dos edifícios que aqui funcionam é o da Câmara Municipal .

Esta Praça cheia de lojas e restaurantes é um bom local para uma refeição ou relaxar e beber um copo numa das esplanadas.

Pormenor das Conchas

Casa das Conchas

Atualmente abriga a Biblioteca Pública de Salamanca e a entrada é gratuita.

O primeiro pormenor que nos salta à vista são os formatos de concha que decoram os alçados deste palacete Gótico de inicio do século XVI. Crê-se que as conchas se devem ao seu primeiro dono, Rodrigo Maldonado de Talavera, que era senhor da Ordem de Santiago.

Fachada da Universidade

Universidade de Salamanca

Aqui deparamo-nos com uma fachada belissimamente trabalhada, uma obra-prima do Plateresco Espanhol. Segundo a tradição, os alunos que lá encontrarem "o sapo" terão bons resultados nos estudos.

Depois do seu restauro, em 1992, é também habitual os turistas procurarem um astronauta. Apesar da recente introdução deste elemento no trabalhado da fachada, pelo artista encarregue do restauro, não faltam na internet teorias da conspiração.

A Universidade é a quarta mais antiga do mundo e a mais antiga da península Ibérica. Como era domingo não conseguimos entrar. Vale muito a pena visitar o Pátio das Escolas Menores e a sua incrível Biblioteca.

Preço : Entrada normal: 10 euros

Horário: Semana: 09:00–14:00, 16:00–18:00

Sábado, Domingo e Feriados: Fechado

vista sobre a Catedral Velha

Catedral de Salamanca

A catedral de Salamanca são na verdade dois templos de épocas distintas ligados entre si.

São dos edifícios mais imponentes da cidade, um ponto de referência visível a distância.

A Catedral velha, data do século XII e tem uma arquitetura Românica e Gótica. A Catedral Nova foi construída a partir do Século XVI em estilo Gótico tardio e Barroco.

Nós optamos por subir às torres da catedral medieval. Lá consegue-se ter uma vista desafogada de grande parte da cidade, além de ter uma perspectiva de alguns pontos interiores. A subida dá-se pela torre Ieronimus.

Torre del Clavero

É uma torre militar do século XV. Apreciamos o seu aspecto exterior, pois tem um desenho curioso!

Huerto de Calixto e Melibea

Encostado à antiga muralha da cidade existe um pequeno jardim famoso por inspirar o romance escrito por Fernando de Rojas. Não sendo conhecedores da história aproveitamos para relaxar e namorar um pouco neste pequeno e romântico jardim.

Igreja de são Estêvão

Mais um imponente edifício que ajuda a dar a Salamanca o título de cidade dourada. O templo Católico pertence à Ordem Dominicana e é datado do século XVI. Mesmo ao lado encontra-se o Convento de Las Dueñas, cujos claustros são magníficos.

Palácio de La Salina

Estávamos na Torre del Clavero e tínhamos este palácio mesmo ao nosso lado. Olhamos à volta a procura de o reconhecer nas imagens que tínhamos visto do palácio.

Finalmente o GPS levou-nos em frente a um edifício com portões de ferro, hesitamos um pouco se deveríamos ou não entrar.

Quando ultrapassamos os seus portões, ficamos encantados com o seu pátio interior, cheio de ornamentos, arcos e figuras estranhas.

O palácio de etilo Plateresco deve o nome ao facto de até ao final do século XIX ter o monopólio da venda de sal de toda a cidade.

Ponte Mayor de Tormes

Mesmo a terminar a nossa visita à cidade aproveitamos para fazer um piquenique no parque circundante à beira rio. Por lá ficamos até a noite cair e toda a cidade se iluminar.

Esta ponte Romana que atravessa o rio Tormes é um testemunho da passagem desta grande civilização pela península Ibérica

Museu de Art Déco e Art Nouveau

A casa Lis impressiona pelos seus belos vitrais exteriores, não tendo entrado, é um local que se deve ter em conta.

Todos os Pontos visitados estão assinalados no mapa

A visita pode ser feita a pé apesar de a cidade ter algum desnível. A ponte de Tormes é o único ponto mais afastado mas sem grandes distâncias. Fizemos este percurso numa tarde do mês de Março.

Segue-nos para mais nas nossas redes sociais